0

Leituras no comboio

Fico surpresa de ainda visitarem este blogue, há tanto tempo abandonado. Tantas coisas aconteceram nos últimos anos. Seria bom se a pouco e pouco, eu conseguisse limpar as teias de aranha que por aqui se instalaram e voltasse a partilhar alguns dos meus momentos…

Com mais de 60 minutos disponíveis por dia em viagens de comboio, havendo vontade, não é difícil ler em quantidade. Deixo aqui então, um pequeno apontamento dos livros que me têm acompanhado:

  • Origem de Dan Brown – adorei este livro, lê-se muito bem, apesar de ser volumoso;
  • A Valsa do Adeus de Milan Kundera – não é um livro de leitura fácil, mas arrancou-me vários sorrisos, tem partes muito divertidas, apesar de não ser o meu género favorito, para mim é um livro muito bem escrito, somos quase da mesma idade, eu e o livro…
  • Madame Bovary de Gustave Flaubert – este ainda estou a ler. Na verdade fiz uma pausa. Conto retomar, mas tenho que estar com o espírito certo.

Tenho também optado por um ou outro jogo de Sudoku, por algumas revistas de decoração. Já fiz crochet também, mas sinto-me muito observada e por ora não conto retomar. A ideia é ocupar esse tempo com alguma actividade que me descontraia, tudo o que se afaste disso é de evitar.

0

Grão a grão

Às vezes o pior é começar. Ainda há poucos dias eu me queixava que o ritmo de leitura andava lento e depoisOrgulho-e-Preconceito ainda no mesmo mês consegui ler outro livro. Obrigo-me de certa forma a dedicar algum tempo a coisas que gosto de fazer e que me deixam um sorriso nos lábios. Para além disso, ler é uma óptima forma de combater as insónias, as minhas amigas insónias que não me largam há uns bons tempos. Este livro que li, é um clássico e chamou-me a atenção após ver o filme mais recente com o mesmo nome. Apesar de ter gostado imenso do filme, o livro é de leitura obrigatória, porque tem mais pormenores e foi através dele que compreendi melhor algumas partes do filme, que não é uma cópia exacta da obra e sim uma adaptação. O livro que tenho é da Civilização Editora e é igual ao da foto, tem a capa dura e é uma excelente compra, mesmo até para oferecer. É sobre a família Bennet com cinco filhas jovens cuja mãe procura a todo o custo arranjar-lhes bons casamentos e onde o amor surge onde menos se espera. Gostei muito.

0

Leituras

A minha expectatAs-Palavras-que-Nunca-Te-Direiiva relativamente a leituras para este ano é relativamente baixa. E a verdade é que já estamos em Abril e apenas li o primeiro dos doze livros que espero ler até ao final do ano. Já tinha lido este livro há muitos anos atrás e voltar a lê-lo neste período em que a minha vida pessoal anda tão virada do avesso até me fez bem.

As Palavras Que Nunca Te Direi de Nicholas Sparks é um livro que vale a pena ler, e apesar de eu preferir livros com finais mais cor-de-rosa, é difícil ficar indiferente a esta grande história de amor cheia de sentimento e detalhes.

Por acaso nunca vi o filme.

0

Leituras – Objectivo atingido

Por sugestão da minha filha, acabei por ler A Floresta Encantada da Isabel Amaral.É um livro suave, que se lê depressa e que apesar de ser mais adequado para as idades da minha pequena, é interessante e está bem ilustrado.

Seguidamente li Papá das Pernas Altas da Jean Webster e sorri muito.É um livro surpreendente, tendo em conta que foi escrito em 1912.

Estou a ler agora o Querido Inimigo, também da Jean Webster, que é o seguimento do Papá das Pernas Altas e a conclui-lo ainda este ano, chego aos 14 livros lidos neste ano.

Para o próximo ano vou manter a mesma meta dos 12 livros, mas já sei que vai ser mais difícil, porque mais uma vez os meus dias alteraram-se completamente e a incerteza colou-se a mim que nem uma lapa e também não estarei tão próxima da pessoa amiga que me tem emprestado alguns dos últimos livros que li.

2

Leituras

9789896373849

No início deste ano, tracei como objectivo de leitura cerca de 12 livros.Conforme referi aqui em Março, as leituras iam assim:

  1. Pedro Alecrim do António Mota
  2. Robinson Crusoé de Daniel Defoe
  3. O Principezinho de Antóine de Saint-Exupéry
  4. Como Cuidar da Sua Horta Mês a Mês de Wagner,Wendland e Liebreich
  5. Segredos do Sucesso Empresarial de Mark McCormack

Entretanto vários meses passaram e a lista cresceu mais um bocadinho e temos então:

6. A Pecadora de Tess Gerritsen
7. Nas Margens do Rio Piedra Eu Sentei e Chorei de Paulo Coelho
8. O Dom de Richard Paul Evans

Estou a terminar o Boneca de Luxo de Truman Capote e oxalá ainda consiga cumprir o objectivo a que me propus, porque nem sempre há tempo e concentração para a leitura. Gostei muito de ler O Dom, foi um livro que me emprestaram e quando o fizeram disseram-me logo que quando se começa não se consegue parar de ler, e é verdade, é uma história muito emocionante que me deixou de lágrima no olho.

Vamos ver que leituras se seguem!

Imagem retirada daqui.

1

Leituras

Leituras
Quando este ano se iniciou, tracei uma série de objectivos que gostaria de atingir. Um deles foi voltar a ler, tipo um livro por mês. Já falei nisso outras vezes, com o nascimento dos meus filhos deixei de conseguir ter concentração para ler. Teimosa como sou, acho que é uma questão de disciplina e de força de vontade. A verdade é que desde que o ano começou, e porque tenho um filho no 6º ano que tem que ler várias obras, já li o Pedro Alecrim do António Mota, o Robinson Crusoé de Daniel Defoe, reli O Principezinho de Antóine de Saint-Exupéry e actualmente estou a ler dois livros mais técnicos, este Como Cuidar da Sua Horta Mês a Mês e um outro que a minha filha encontrou no monte Segredos do Sucesso Empresarial.
Leituras
Gostei muito de ler o Robinson Crusoé, é daqueles clássicos que todas as pessoas deveriam ler, demonstra que a vida dá muitas voltas e que não devemos desistir perante as adversidades.Estes dois últimos que estou a ler são mais técnicos e ligados ao que actualmente estou a fazer, pelo que para mim estão a ser muito úteis.
Curso
Entretanto e por obrigações legais, fui fazer uma formação em Aplicação de Produtos Fitofarmacêuticos e até me diverti com uma turma maioritariamente masculina e cheia de ideias próprias.
Tal como nos livros, encerro capítulos na minha vida e obrigo-me a seguir em frente, mesmo com tudo o que me arrasta para trás.

0

A propósito

Presentes de Natal
Da prenda que pedi aqui para o Natal, a mesma chegou logo no dia 15 de Dezembro. Consegui dormir uma noite inteira seguida, aos quase 30 meses do meu filho mais novo. E o que eu tenho pensado nisto sozinha, é que efectivamente eu apenas pedi uma noite e fiquei tão, mas tão arrependida de não ter pedido mais. É que podia ser que se concretizasse.

Esta semana voltei a ter outra noite sem sobressaltos. Gostava que isto fosse mais regular, mas está complicado. O miúdo adora a cama dele, mas bom mesmo era se a mãe ficasse lá a noite toda…As minhas costas odeiam a cama dele.

Com isto tudo, o Pai Natal até foi muito generoso e resolveu compensar-me e oferecer-me outros presentes.
Presentes de Natal
Um perfume, uma agenda, um livro do Dan Brown, um robe muito fofo e quentinho e uma base de corte com acessórios.Gostei de tudo e não esperava tanto.

0

Tarte de Limão

Tarte de Limão

Esta tarte é muito saborosa e foi adaptada deste livro.Fiz algumas alterações, nomeadamente a massa, já que utilizei uma embalagem de massa quebrada de compra.O recheio consistiu em 375 gr de requeijão, 6 colheres de sopa de mel, 3 ovos grandes e raspa e sumo de um limão.Coloquei todos os ingredientes no copo da Bimby e coloquei uns segundos na velocidade 5 até ficarem misturados.Coloquei o recheio na tarteira já untada com margarina e forrada com a massa quebrada e levei ao forno uns 40 minutos a 150º.Fui depois verificando a cozedura até o recheio ter ficado firme e alourado.Depois de fria enfeitei com rodelas de limão.Costumo sempre picar com um garfo o fundo da massa quebrada antes de colocar o recheio para a mesma não levantar.

Tarte de Limão

0

Bolo de Mel Grego

Bolo de Mel Grego

A receita deste bolo é de um livro muito bonito que tenho sobre o Natal, As Mais Belas Ideias Para o Natal da Jane Newdick da Editora Civilização (ISBN 972-26-1408-8).Penso que já falei aqui várias vezes sobre ele, foi o meu irmão que me ofereceu (mais um oferecido por ele).Na infância, eu e o meu irmão “devorávamos” livros, tinhamos poucos, mas eles eram folheados vezes sem fim e a maior parte deles estão intactos.Ambos sabemos que um livro é sempre um presente desejado e é usual que em datas especiais, ofereçamos livros um ao outro.A nossa mãe não compreende muito bem esta nossa fixação, coisas de mulher com outros interesses. 🙂

Mas em relação a este bolo, diz o livro que pode ser feito 2 meses antes do Natal, pode fazer-se e envolve-se em papel vegetal ou de alumínio  e guardar-se.Como é condimentado, com o tempo vai ficando mais saboroso.Inicialmente a minha idéia era fazê-lo e guardá-lo, mas esqueçam lá isso…quase que não há.Ficou a intenção.

Ingredientes:

275 g de mel

meia colher de chá de cravinho-da-Índia em pó

meia colher de chá de canela em pó

meia colher de chá de noz-moscada em pó

90 g manteiga

90 g açúcar amarelo

3 ovos médios

uma colher chá de bicarbonato de sódio

250 g farinha sem fermento

uma colher de chá de fermento em pó

180 g de frutos secos picados

Preparação:

Forra-se uma forma quadrada com papel vegetal e aquece-se o forno a 160º.Aquece-se o mel com o cravinho, canela e noz-moscada, deixando levantar fervura e depois esfriar.

À parte bate-se o açúcar com a manteiga com uma colher de pau e junta-se as gemas uma a uma, batendo de cada vez.Junta-se o mel e o bicarbonato de sódio e bate-se até amaciar.Peneira-se a farinha e o fermento e mistura-se suavemente, até ficar tudo bem incorporado.Envolve-se os frutos secos e por fim as claras batidas em castelo.Deita-se na forma e leva-se ao forno durante 1 hora, 1 hora e 10 minutos, até o bolo levantar bem e dourar, e o topo voltar a cima quando premido no meio,

Deixa-se o bolo arrefecer na forma.Pode-se servir com mel quente por cima e nozes.

Eu acabei por o fazer com algumas alterações, utilizei a Bimby para picar os frutos secos, não aqueci o mel e depois por preguiça não bati as claras em castelo, juntei os ovos inteiros e também ficou um bolo fofo.Utilizei uma forma de bolo inglês anti-aderente que untei com óleo, mas que se revelou pequena já que o bolo cresce bastante.Desenformei ainda quente e não servi com mel por cima, já é um bolo bastante doce, que se calhar até podia reduzir-se a quantidade de açúcar.

É um bolo que faz lembrar o Natal, pelas especiarias que leva, deixa a cozinha com um cheirinho delicioso!