0

Abundância

IMG_0351

Todos os dias agradeço o que tenho. No passado recente, houve muitos dias em que esta fruteira apenas teve uma variedade de fruta. Visto assim, custa a crer, mas o desemprego coloca-nos em situações muito difíceis. Perde-se rendimento e dignidade, sofre-se em silêncio.

Não podemos deixar de incentivar o lado formiga que há em nós, o guardar na abundância para os dias mais complicados, para aqueles dias em que todos os cêntimos contam.

0

Dias Atípicos

Flowers Photo Mother's Day Facebook Post

Estou a trabalhar a partir de casa há cerca de 2 meses. E se há dias em que tenho saudades da balbúrdia da cidade, a maior parte dos dias sinto-me muito feliz por conseguir ser produtiva e realizar grande parte do meu trabalho a partir do meu canto.

Já iniciei até algumas pequenas reformas em algumas divisões da casa. Espero torná-la mais acolhedora. A ausência de tempo seco não tem facilitado esta tarefa, mas não tem sido impeditivo.

Acredito que muitas empresas vão mudar completamente o seu modo de funcionamento, a diminuição dos custos pesará nessa decisão. Vamos ver o que aí vem.

0

O tempo dá passadas de gigante

Quem diria que já passaram 2 anos desde a última vez que escrevi no blogue. Parece que foi há bem menos tempo.

Deixei de andar de comboio, algum tempo depois. Tanta coisa mudou e tanta coisa permaneceu igual. Os filhos cresceram, adaptaram-se à sua nova realidade, os mais velhos tornaram-se adolescentes, deixaram de apreciar todas aquelas imensas coisas que fazia e que aqui partilhava, sempre com o objectivo de lhes criar memórias, boas memórias da infância. O filho mais novo, ainda se entusiasma com a possibilidade de fazer um bolo e acompanha-me em muitas outras tarefas, sempre sorridente. Não posso desperdiçar o tempo que ainda resta, até também ele se ver confrontado com todas as dúvidas e incertezas da adolescência.

Não sinto que foi tempo desperdiçado, lá mais para a frente tudo fará muito sentido. E à medida que os filhos exigem menos a minha atenção, posso também aproveitar para fazer outras coisas. Há um sem número de coisas que quero ainda vivenciar. Quem sabe, não retome o blogue? Podia alterar-lhe o nome, para algo que atualmente faça mais sentido, dar-lhe um refresh na imagem.

Assunto, certamente não faltará.

0

Retomar

É tempo de retomar. De voltar a fazer o que gosto, de partilhar alguns dos meus momentos, de voltar a fotografar, de arriscar novos caminhos.

É tempo de voltar a sorrir. Até já!

0

Partir

dsc04374.jpg

O mês passado a minha avó materna faleceu. Depois de uns últimos meses muito complicados, a sua saúde foi-se debilitando até um ponto de não retorno. E um capítulo se encerrou. Desse lado da família deixou de haver referências…pelo menos a nível físico, porque a nível emocional e enquanto existir memória, elas estão cá. Procurei ler alguns textos sobre este assunto tão delicado, sobre o que se sente quando se perde pai e mãe numa tentativa de apoiar a minha mãe, mas nestas coisas não há muito que se possa fazer, para além do que já se faz: escutar, abraçar, compreender.

E no fim, mesmo no fim, sobro eu, o que sinto, o que mais poderia ter feito. Sinto-me em paz, porque nestes últimos tempos tive a oportunidade de mimar muito a minha avó, de cozinhar aquelas coisinhas doces que ela gostava e que felizmente podia comer e de a poupar a pormenores da minha vida que certamente a iriam preocupar e entristecer. Há palavras suas que guardarei para sempre e o seu amor incondicional por mim e pelos meus filhos. Sinto-me abençoada por ter tido amada assim. ❤

 

4

2016

My creation
2016 caminha para o fim. Finalmente. Anseio tanto por um novo ano, cheio de dias para viver momentos bons e que tanta falta fazem a esta família.

2016 foi um ano com muitos fins, o ano em que voltei a usar o meu nome de solteira, o ano em que perdi cinco das minhas meninas peludas, o ano em que o meu regresso à vida profissional correu muito mal, o ano em que o monte quase não avançou, um ano cheio de dias difíceis que teimaram em se prolongar.

Mas onde também aconteceram coisas boas, onde vivemos a experiência de ver nascer uma ninhada de cachorros, onde chegaram mais uns patudos para completar a nossa matilha, onde vivemos dias de paz e tranquilidade como há muito não tínhamos. Os filhos cresceram e festejámos os seus aniversários.

Aproxima-se um ano ímpar, gosto de números ímpares. Espero que seja um ano em que a paz conquistada se mantenha e onde os momentos especiais sejam uma constante.

 

0

Os meus dias

11411298205_628d611a1f_z

agitados, trapalhões, cheios de fins e de princípios, de lágrimas e de sorrisos. Os meus dias de uma vida que nem parece a minha, mas que é e ainda bem que é.

E aqui estou que nem uma árvore em plena tempestade, a levar com as rajadas de vento e com a chuva forte, mas a lutar com todas as minhas forças para manter as raízes bem agarradas ao chão.As tempestades não duram para sempre e se por agora os meus ramos e galhos estão vazios, outros dias virão em que o Sol brilhará e onde novas folhas nascerão.

O contrário também é válido, essas outras árvores vestidas que olham satisfeitas para os meus ramos despidos, não estão livres de serem atingidas por algum temporal.

O tempo e as circunstâncias mudam.

0

Wedding Date

2432952

Recentemente vi este filme e gostei bastante.É uma história engraçada com muitas peripécias à mistura.Pela pesquisa que fiz é baseado no livro Asking for Trouble de Elizabeth Young, que não está traduzido para português, mas dizem que é um livro muito divertido. 🙂