0

Notícias do Monte

Patos
Com a ocupação das minhas manhãs deixei de ter tanto tempo disponível para dedicar ao monte.Às vezes temos que dar um passo para trás, para a seguir conseguirmos dar dois para a frente.Mesmo assim, os filhos mais velhos têm feito algumas coisas por ali, o que me deixa muito orgulhosa.
Mas muitos dos dias, apenas alimento os animais e rego a estufa e o que restou na horta.Faço isto sempre a olhar para o relógio, para não falhar os compromissos agendados.
Num destes dias tive uma boa surpresa.Quando me aproximei da capoeira das patas, tinham nascido 3 patinhos.Até me emocionei quando vi aquelas 3 bolinhas amarelas.As patas ficaram chocas e não correu nada bem, entretanto ficámos sem o macho e eu até tinha pensado em limpar os ninhos, porque já não via as patas a chocarem os ovos.Ainda bem que não o fiz.Um dos patinhos foi pisado e não sobreviveu, restam então dois que a vingarem são os primeiros animais que nascem no monte, após a nossa chegada.No passado, o monte era um sítio cuidado, com várias plantações de cereais, vinha e acredito que muitas gerações de animais tenham nascido ali.Não tem sido fácil levar este meu projecto para a frente, mas melhores dias virão.

0

Notícias do monte

Galinhas
O tempo que tenho dedicado ao monte tem sido curto, sempre a correr, sempre com pressa, sempre com vários compromissos que não me deixam estar onde realmente gosto de estar.A horta ressente-se da falta de atenção e as ervas não dão tréguas, dava-me jeito ter alguns animais maiores para irem limpando o terreno, mas por enquanto não é possível.
O nosso galo Pintarolas morreu.Depois de tudo o que ele passou, de ter conseguido escapar ao ataque ao galinheiro e de ter sido o único a sobreviver, merecia melhor sorte.Até porque tínhamos decidido poupá-lo, mas num espaço de dois dias tudo terminou.Temos então agora toda uma nova geração de galinhas que por estes dias iniciaram a postura dos ovos.
Temos ainda um trio de gansos muito jovens, que estamos a tentar habituar à nossa presença para evitarmos as bicadas tão características.
Duas das nossas patas estão chocas e percebo agora que nestas coisas, o melhor é interferir o menos possível.Lá andámos nós com todos os cuidados, a separar uma das patas e o seu ninho e ela acabou por comer os ovos quase todos, agora sem a nossa interferência tudo parece estar a correr melhor.O pato é que por vários motivos tem os dias contados.Vida do campo.
Em casa também tivemos algumas surpresas, tivemos um “acidente” com a nossa cadela Mel e fomos recentemente avós de uma ninhada de cãezinhos. Em quatorze anos de dona de cadelas, foi a primeira vez que tal sucedeu.Por um lado é uma grande preocupação, mas por outro é uma alegria imensa e não me canso de os agarrar e viver intensamente este momento.Em breve partilharei fotos dessas ternuras.

0

Colheita do dia

Colheita do dia
Passaram vários dias desde o último post e aconteceram tantas coisas no monte, ainda dizem que a vida do campo é calma e sossegada.Bem, por ali isso não acontece, apesar de o ritmo ser diferente do da cidade, há sempre novidades.Uma dessas novidades, foi a quantidade de ervilhas que apanhei da horta.Foi a minha primeira cultura de sucesso e claro, fiquei feliz.Depois de tantas culturas fracassadas, sabe bem ter uma (pelo menos uma) em que tudo corre bem.
Ervilhas
Tive alguns ajudantes para as descascar, mas como eram tantas, foram desaparecendo aos poucos e no final já só restava eu.Rendeu um saco com 1,200 quilogramas que optei por congelar.
Para o ano vou fazer algumas alterações, uma delas é colocar estacas mesmo nas variedades que não precisam, facilita muito o processo de arrancar as ervas daninhas (ó céus, as ervas crescem…), outra é semeá-las mais próximas umas das outras.

0

A horta no Monte

Cenouras
Nos últimos tempos tenho sentido uma certa frustação quando penso na horta que tenho no monte.Apesar de todos os esforços, ainda não consegui ter plantações com sucesso.As favas cresceram pouco e a produção foi fraca, as ervilhas continuam tímidas e os alhos e as cebolas lá vão crescendo, mas muito vagarosamente.Os meus vizinhos têm obtido melhores resultados e dá gosto ver os seus pedaços de terra todos cultivados, mas eu continuo a recusar-me a aplicar químicos.Tenho várias culturas na estufa à espera de serem transferidas para a horta, mas não estou muito expectante.
Tomate cherry
Dentro da estufa e com a temperatura amena que se sente lá vai despontando alguma coisa.Com a chegada da Primavera pode ser que tudo melhore, que isto tem andado muito fraco.

0

Regresso à produção de forragem

Forragem
Quando perdi os gansos e as galinhas, parei com a produção de forragem verde.Na altura, já tinha o sistema completamente implementado, mas sem animais suficientes para a devorar, não fazia sentido continuar a produzir os tabuleiros de forragem e a desperdiçar dinheiro.Com o crescimento das novas galinhas e porque quero que se habituem desde cedo a comer a forragem, voltei à sua produção.
Aquilo que tinha dito aqui, acerca da qualidade das sementes mantém-se, este último saco de trigo que comprei vem muito sujo e em breve terei que improvisar uma peneira e também ficar mais atenta à marca dos cereais que compro.
Forragem
Actualmente, já tenho todo o procedimento estruturado, tenho esta estante de madeira com oito tabuleiros devidamente furados e com uma altura em cada prateleira de modo a que a água dos tabuleiros de cima vá para os de baixo, sem que eu tenha que fazer algo para isso.Diariamente, apenas tenho que colocar as sementes que deixei de molho no dia anterior no tabuleiro vazio, e despejar a água nos tabuleiros de cima duas vezes por dia.Com a temperatura e a luz que tenho na estufa consigo obter um tabuleiro de forragem por dia que serve de alimento a 16 aves, não em exclusividade, já que complemento com alguma mistura de cereais, mas que reduz significativamente o valor gasto na alimentação delas.

0

Trabalhos no monte

Estufa
Nos últimos dias tenho passado bastante tempo na estufa.Estou a preparar as próximas sementeiras para a horta.Tenho que agradecer à minha amiga S. pela quantidade enorme de garrafas vazias que me tem arranjado, dão imenso jeito.Com a informação que encontro no livro Como Cuidar da Sua Horta Mês a Mês estou já a preparar o que vou plantar lado a lado.Gosto da ideia de misturar legumes com flores, era algo que o meu avô fazia e aparentemente funciona, vamos ver.Por exemplo, o livro aconselha a colocar junto ao feijão de trepar, a capuchinha e a plantar dálias, cosmos, bocas-de-lobo, zinias entre outras junto aos legumes para atrair insectos polinizadores.
O que me preocupa na horta são as ervas daninhas, nascem como se o Mundo fosse acabar e depois perco imenso tempo a eliminá-las.Estou a ponderar usar tela em algumas partes da horta.

0

Azares do Campo

Watching
Esta foto é muito especial e apesar de já ter vários anos, continua atual.Foi o nosso primeiro galinheiro, idealizado por mim e executado pela cara-metade com uns pozinhos de perlimpimpim da minha parte.Lembro-me de ter sido muito elogiado pelos nossos familiares, e de terem feito uma série de piadas.Foi divertido!Mais tarde acabámos por alterar a porta, já que esta primeira não era muito prática.
No monte, o galinheiro que temos é totalmente diferente.É de tijolo, a rede foi toda colocada de novo e pensávamos nós que era seguro.O resultado final foi o pior possível, mas há boas notícias, o galo recuperou, as feridas quase que cicatrizaram e já come normalmente.Só lhe falta a companhia.
Todos os meus vizinhos do monte têm histórias de ataques para contar, são vários os bichos que perderam, talvez por isso, saibam tão bem como me sinto.São aqueles momentos azarados do campo, que nem todos entenderão.
Para além disso, voltei a ficar constipada, a terceira vez este Inverno e um dos nossos cães apareceu sovado.
Agora que já estamos fartos (pelos cabelos, mesmo) de coisas más, podem começar a acontecer coisas boas.