0

Trajecto

Maçãs
Os dias passaram a correr e daqui a menos de nada já chega um novo mês.
Todos os começos são difíceis e este meu novo começo não tem sido excepção.Depois de meses de planos e de muitos “um dia destes começo”, no espaço de dois dias organizei-me como pude e comecei.São muitas as forças que me puxam para trás, nem eu imaginava que seriam tantas, mas para já estou decidida a seguir em frente e com os miúdos quase de férias, tudo ficará mais fácil.

O bom nesta vida é não precisarmos de favores de ninguém, porque quando precisamos e não nos querem ajudar, ou nos ajudam de má vontade, ficamos sempre fragilizados.

0

Feliz Dia da Mãe

Cheesecake de morango
Não sei se é da idade, ou se sempre fui assim e agora a “coisa” agravou-se, mas a verdade é que não dou muita importância a estas comemorações.Depois, os filhos mais novos ofereceram-me os trabalhos que fizeram na escola e empolgaram-se todos com este dia.Apanharam-me flores no monte e o mais velho deu-me um beijinho, o que na sua idade, já é um miminho muito especial.Aproveitei e apanhei umas flores do campo para a minha mãe.
Cheesecake de morango
Lá coloquei o meu lado contra de lado e fiz uma sobremesa toda caprichada para este domingo.Um cheesecake de morango, feito a “olho” e que resultou muito bem.
Cheesecake de morango
A base é de pacote e meio de bolacha Maria triturada juntamente com duas colheres bem cheias de manteiga, que coloquei num aro de 22 cm de diâmetro.Depois bati 600 ml de natas e juntei duas embalagens de gelatina de morango em pó já dissolvida em 200 ml de água a ferver.Juntei um pouco de açúcar para ficar mais doce e vazei para dentro do aro.Levei ao frio a solidificar e só depois enfeitei com alguns morangos cortados em fatias e com uma camada fina de gelatina de morango.Ficou muito fresca e saborosa, esta sobremesa.
Dia da Mãe
Recebi prendinhas cheias de detalhes carinhosos, coisas que eles sabem que eu gosto e que me fizeram sorrir.Preciosos os meus filhos!

0

Passos para a frente

Estufa
Os dias têm sido atarefados.De repente há que plantar tudo e a estufa andou desarrumada. Num destes dias de chuva perdi algum tempo a organizar o caos.No Inverno tenho que colocar todas as plantas do lado direito, na Primavera tenho que as mudar todas para o lado esquerdo, por causa do calor.Quem diria que a estufa já foi uma garagem.
Entretanto, a minha vizinha da frente, uma senhora cheia de genica e conhecimento deu-me um carregamento de flores para eu fazer o jardim.É incansável, pertence a uma geração que já não se cria mais, pela circunstância dos tempos.Como uma esponja absorvo tudo o que ela me quer ensinar.
Parece-me que nos próximos dias, a estufa vai ficar novamente em revolução.

1

O nosso cão

M.
Há ainda muitos dias em que sinto uma grande tristeza quando penso nas nossas cadelas que já partiram.Foram três perdas seguidas, de causas difíceis e isso fez-me tomar algumas decisões.O nosso cão da cor do chocolate foi o último que recolhi da rua, para protecção da minha matilha.Todos os próximos, serão decisões pensadas e repensadas, demoradas no tempo.
M.
Foi o que já aconteceu com este pequenote, que de pequeno vai ter muito pouco.É um Rafeiro do Alentejo e para protecção dos nossos bichos do monte, espero que tenha vindo com todas as características da raça.

0

Colheita do dia

Colheita do dia
Passaram vários dias desde o último post e aconteceram tantas coisas no monte, ainda dizem que a vida do campo é calma e sossegada.Bem, por ali isso não acontece, apesar de o ritmo ser diferente do da cidade, há sempre novidades.Uma dessas novidades, foi a quantidade de ervilhas que apanhei da horta.Foi a minha primeira cultura de sucesso e claro, fiquei feliz.Depois de tantas culturas fracassadas, sabe bem ter uma (pelo menos uma) em que tudo corre bem.
Ervilhas
Tive alguns ajudantes para as descascar, mas como eram tantas, foram desaparecendo aos poucos e no final já só restava eu.Rendeu um saco com 1,200 quilogramas que optei por congelar.
Para o ano vou fazer algumas alterações, uma delas é colocar estacas mesmo nas variedades que não precisam, facilita muito o processo de arrancar as ervas daninhas (ó céus, as ervas crescem…), outra é semeá-las mais próximas umas das outras.